segunda-feira, 13 de julho de 2015

Obvio Ululante

Ha dois mil anos o que era comportamento contra cultura e vanguarda se tornou hoje o obvio ululante. percebia-se as coisas pelo angulo do olho por olho. a pura anarquia era que o amor não teria valor se houvesse amor por retribuição. os que tinham valor e o amor verdadeiro conseguiam amar seus inimigos. 

não foi dito por jesus para não se ter inimigos. 

pois a realização e a convicção somadas dimensionam a quantidade de vozes opositoras. 

caso o objetivo seja se esconder ou se calar, por ignorância ou opção, diminui-se a resistência, e em casos assim se torna possível viver sem inimigos.

sentimentos geram pensamentos, pensamento é tempo e energia. o que investe pensamentos para derrotar os inimigos perde exatamente a mesma quantidade de tempo e energia, que poderia ser usada para realizar a auto felicidade, ou ate mesmo descobrir a real identidade, aquela que acalme. 

Século 21, adolescentes de hoje nasceram com a internet. seres globalizados que passam o dia conectados com o mundo. conectados a tudo que acontece em tempo real.  

ha aquele incapacitado de esperar um só minuto sozinho. onde quer que esteja estará com a mente entretida e conectada a tudo que esta fora, as vezes quanto mais longe melhor. esquecendo do que ha dentro. não mais espera ônibus, esta conectado. não sabe contemplar por estar ansioso por tudo aquilo que ainda é preciso conhecer.

conhecimento precede amor. aceitação precede conhecimento. aceitar o que? será preciso observar para saber. como poderemos observar o que é preciso ser aceito dentro de nos, se estamos continuamente conectados e entretidos com o que esta fora de nos? 

o amor ao inimigo esta intimamente ligado ao amor próprio. como não temos interesse em olhar para dentro de nos e desenvolver o amor próprio nem precisamos nos preocupar com inimigos, pois não os teremos.


tensão pode matar, é preciso contemplar.

relaxar.

integrar.

religar.

ar.